5 Tendências para o mercado B2B do Brasil (2018)

2018 será o ano do B2B, após um período não tão aquecido para alguns setores. Veja as principais tendências para o mercado B2B do Brasil e prepare-se para o ano que vem.

Nos últimos anos, considerando a situação econômica do país, o mercado B2B sentiu variações finais de consumo das empresas. Várias empresas tiveram redução em receita e oportunidades de crescimento, mas muitas companhias também conseguiram manter de pé suas operações através de rotas alternativas. Especialmente as com um perfil inovador, com produtos com alto valor agregado (ex: tecnologias essenciais em SaaS).

Com isso, acabaram criando uma série de novas possibilidades que podem ser vistas como tendências para o mercado B2B do Brasil em 2018, ano em que a curva de atuação do setor deve começar a apontar, novamente, para cima.

Nas pesquisas que fazemos sobre o que será mandatório para o sucesso do business to business no ano que vem, uma realidade é certa: quanto maior o uso de tecnologias emergentes para conquistar o cliente final, mais chances a sua empresa vai ter de se destacar no mercado.

E, acredite, ele está ficando cada vez mais competitivo.

Separamos as principais tendências para o mercado B2B do Brasil para que você possa analisar internamente sua necessidade e já começar a separar orçamento para investir em frentes onde, hoje, você não coloca seu dinheiro.

A dica é escolher bem onde seus esforços serão colocados pois um passo errado poderá ser considerado um presente enorme para sua concorrência.

As 5 Principais Tendências para o mercado B2B do Brasil

#1 Atacado Online

Se hoje as empresas de varejo fazem a festa na internet, vendendo produtos – e até serviços – de tudo quanto é tipo, as empresas podem se preparar para vender para outras empresas também online.

Essa é, com certeza, uma das maiores tendências para o mercaco B2B do Brasil no ano que vem.

Estamos falando tanto da injeção de ânimo de mercados já conhecidos por fazer negócios no virtual, como as empresas de SaaS, quanto de fornecedores vendendo para empresas sem que o vendedor precise ir de porta em porta.

Muito em breve até o tomate que será usado no molho da pizzaria fará sua trajetória até a mesa do consumidor final sem que os players desse processo se encontrem fisicamente sequer uma vez.

#2 Texting para Consumidor

2017 foi um ano que mostrou que os chatbots vieram pra ficar em todas as esferas possíveis de interação: vender produtos, tirar dúvidas e até mesmo engajar as pessoas para causas importantes, como é o caso da Beta, a robô feminista que lembra aos assinantes de seus lembretes de pautas polêmicas votadas no Congresso Nacional.

O próximo passo dentro das tendências para o mercado B2B do Brasil é a criação de programas de texting direto para consumidores finais que estejam tão aptos a criar interações de valor e storytelling quanto os bots que, hoje, fazem mais o papel passivo: as interações começam sempre com o usuário humano.

Em 2018 vai crescer globalmente a demanda pela inteligência que substitui completamente o telefone e, ainda assim, não seja tão chato e insosso quanto as ligações de propaganda que costumamos receber. Segundo previsão da Gartner, até 2020 as relações com clientes serão em até 85% feitas por inteligência artificial.

#3 Pagamentos sem papel ou plástico

O ano que vem vai marcar oficialmente o momento em que empresas do mundo todo poderão começar a esquecer completamente o papel ou plástico (cartão de crédito) como forma de pagamento.

Em interações cada vez mais digitais, moedas virtuais, como a bitcoin, e formas alternativas de pagamento tradicional, como a facilitação de transações bancárias sem a necessidade de fazer o processo manualmente, serão as grandes estrelas da relação B2C.

Por isso, companhias e startups com foco em B2B financeiro tem grandes chances continuar se dando muito bem daqui pra frente.

Talvez o melhor exemplo disso sejam as Fintechs (startups focadas em soluções financeiras) que, além de ganharem cada vez mais popularidade entre os consumidores, estão diminuindo a burocracia de segmentos historicamente burocráticos e inacessíveis ao “consumidor padrão”, como corretoras de seguros e contratos judiciais.

#4 CRM integrado ao Big Data

Essa é uma das tendências para o mercado B2B do Brasil mais esperadas de todos os tempos: a completa integração dos sistemas de CRM com capacidade de reconhecer, dimensionar e trabalhar corretamente com informações trazidas por Big Data.

A automação dessa parte do marketing promete uma integração absurda de canais de comunicação não só entre empresa e consumidor final mas, também, entre empresa, colaboradores internos e parceiros. Estamos falando de uma centralização de dados no CRM vindos de fontes como: redes sociais, ferramentas de automação de marketing, email, internet, call center, e outras ferramentas externas e internas.

Quem souber trabalhar bem essa possibilidade vai ter infinitas chances de melhorar tanto sua comunicação quanto sua lucratividade por cliente em um futuro bem próximo; tendo previsibilidade de comportamentos de clientes, clareza de próximos investimentos a serem feitos em equipe (ex: devo expandir minha equipe de pré-vendedores para focar em um território específico?), e conseguindo obter benchmarking de informações chave como retenção de clientes, gasto médio por cliente, NPS, entre outros.

Alguns players em CRM que vêm ao longo dos anos se posicionando para essas integrações são Salesforce e Microsoft Dynamics, integrando com big data de fontes variadas. Ex: Neoway e IBM Watson.

Para explicar ainda melhor esta tendência, nada melhor do que a citação do Marc Benioff, CEO da Salesforce:

O mundo está sendo remodelado por meio da convergência das redes sociais, tecnologias móveis, cloud, big data, comunidades e várias outras forças poderosas. A combinação dessas tecnologias desencadeia uma oportunidade incrível para conectar “tudo e todos” em uma novo modelo, transformando drasticamente a forma como nós trabalhamos e vivemos.

#5 Machine Learning

Essa é uma das tendências para o mercado B2B do Brasil que já vem acontecendo lentamente há algum tempo, mas que tem tudo para dar uma guinada e acelerar seu processo de atuação a partir de 2018.

Isso vai ser possível através da melhoria de interfaces cognitivas em sistemas complexos – incluindo análises avançadas de dados através de Machine Learning.

A computação cognitiva vai ser um aliado de empresas B2B que querem aumentar a viabilidade de suas soluções através de produtos e serviços inovadores e eficazes.

Portanto, vale ficar de olho nos movimentos dessa seara a partir de agora, principalmente quando eles tiverem relação com marketing, e-commerce, gerenciamento de produto e áreas estratégicas de administração.

E você, conhece mais tendências para o mercado B2B do Brasil que não foram citadas nesse post? Comente abaixo para que possamos continuar a enriquecer essa lista!

Keep reading

More >